Sumps – Planejamento e Montagem!

Sumps

Embora possa ser tão complicado fazer um, é possível projetar um sump simples que irá proporcionar um ambiente saudável  e um tanque principal livre de parafernálias.

Dez anos atrás, montei um aquário de 29 litros na minha casa. Foi bem básico, baseado no mesmo método que meu pai tinha usado: um tanque de vidro, um filtro de fundo biológico, coral moído como substrato, bombas, um aquecedor e um Skilter. Ehh, esse tanque bombou! Olhando para o meu aquário, eu via  tubos, filtros, aquecedor, bombas, fios e … ah sim, algumas rochas, peixes e um monte de algas. Me lembro que havia comprado um monte de aditivos e removedores que o vendedor da loja de aquários me recomendou, mas nada fez com que eu conseguisse me livrar das algas ou ao menos devolver a beleza que meu aquário tinha antes.

Este artigo irá direcionar o aquarista no desenvolvimento de um sump que atenda as necessidades do seu aquário evitando gastos desnecessários e espaço através de um planejamento adequado dentro do que pretende ter.

O que é um Sump?

O Sump é o termo usado para descrever qualquer tipo de recipiente utilizado embaixo ou atrás de um aquário. Possui água e possibilita organizar boa parte do equipamento que nossos sistemas necessitam. Quando recebemos visitas em nossas casas, queremos oferecer a eles uma experiência agradável de um ambiente parecido aos recifes de corais no oceano não queremos que os equipamentos que fazem o sistema funcionar fiquem a mostra espalhados por tudo quanto é lado passando uma idéia de algo desarrumado ou complicado. Sumps podem ser construídos de vidro, acrílico ou até mesmo com recipientes plásticos grandes utilizados para guardar roupas ou alimentos. A melhor alternativa para um bom sump é quando há espaço suficiente para você acomodar todos os equipamentos necessários.

Se a área que será utilizada para abrigar o sump será embaixo do aquário ou atrás, este deverá ser devidamente projetado com medidas proporcionais a essa área. Caso a área de acomodação do sump for um quarto próprio para abrigar os equipamentos do aquário ou até mesmo um espaço amplo próximo a ele, nesse caso você terá muito mais espaço para fazer as manutenções. Cada tipo de material a ser utilizado para a confecção de um sump tem suas vantagens e desvantagens. Primeiro vamos analisar como se todos os equipamentos fossem utilizados dentro do sump.

Os itens mais comuns encontrados em um sump são: skimmer, aquecedores e bombas de recalque. Outros equipamentos que podem ser usados inclui um reator de cálcio, um filtro denitrificante como é o caso do reator de enxofre, um reator para remoção de fosfatos, um lugar para acomodar os elementos filtrantes, tais como carvão ativado , um reator de kalkwasser, várias sondas para medir os valores da água  e um sistema automatizado para reposição de água evaporada. Pow, quanta coisa! Cada aquário possui suas características de acordo com que o dono projeta para seu funcionamento. Por exemplo, não incluímos filtros UVs nem ozonizador ou chiller. é você que decidirá o que o seu aquário vai precisar. Além disso, um refúgio é algo que eu recomendo para qualquer tipo de aquário marinho.

Terminologia:

A fim de tornar mais fácil conversar sobre sumps, é importante que todos usem a mesma terminologia quando se discute a sua configuração com os outros:

- Tubulações de descida – Leva a água para o sump;
– Tubulações de recalque – Leva a água do sump para o aquário;
– Bomba de retorno – Impulsiona a água para que chegue no aquário;
– Quebra-bolhas – Uma série de desvios feitos para que as bolhas possam ser quebradas ao longo desse trajeto e não chegue ao aquário;
– Zona de descida -Região onde há a quebra de bolhas provenientes da queda d´água no sump;
– Refugio – Áreas reservada para o desenvolvimento de microorganismos livre de predação;
– Sessão do Skimmer – Local onde ficará  o Skimmer;
– Sessão de subida – Local onde ficarão acomodadas as bombas na qual irão trabalhar impulsionando a água para o aquário.

Essa lista com estas terminologias foi criada com o objetivo de facilitar a comunicação. Falando a mesma linguagem, localizemos com maior facilidade as áreas e o que estamos querendo fazer já que logo a primeira vista quando conhecemos um sump a primeira impressão de dá é de uma coisa complicada e difícil de lhe dar.

A seguir, serão discutidas algumas perguntas.

Como faço para a água sair do meu aquário e ir para o sump?

Se o tanque principal for “pré-fabricado”, ou seja, possuir uma passagem por baixo dele comumente chamada de overflow, em outras palavras, a água do aquário sobe até um determinado nível e transborda para uma sessão por dentro do tranque, na parte de baixo dessa sessão é onde está a tubulação de decida, isso evita com que em caso de falta de energia a água do aquário seja drenada para o sump. Este é o método preferido, porque basta uma simples conexão para o sump e está montada a tubulação de decida. Com um tanque pré-fabricado, você nunca precisa se preocupar como ele irá drenar, porque ele faz isso automaticamente. A única preocupação é que nenhum animal entre nessa sessão por onde há a decida da água porque poderá causar uma obstrução causando um desequilíbrio na vazão entre a quantidade de água que desce e a quantidade de água que está subindo através da bomba de recalque. Um filtro ou uma tela plástica pode evitar um desastre.

Para os casos onde os tanques principais não são preparados (perfurados e com sessões), uma tubulação do tipo “Hang-On” funciona usando o método de sucção. Uma caixa submersa dentro do tanque principal e uma segunda caixa fixada logo atrás do tranque. Um tubo em U sifona a água da caixa interna da caixa externa, e de lá a água desce através de uma outra tubulação de descida para o sump. Se a caixa de overflow (a externa) estiver projetada  e posicionada corretamente, sempre vai existir o efeito sifão, mesmo durante uma queda de energia.

Para esse tipo de tubulação de descida é obrigatório uma inspeção diariamente para ter a certeza que tudo está funcionando de forma correta. Se houver aprisionamento de ar na curva do U na tubulação, este problema deverá ser eliminado o mais rápido possível. Caso haja uma certa frequência de acúmulo de ar nesse tubo, recomenda-se verificar as colagens desses tubos para certificar-se de que não há entrada de ar, ou talvez a vazão da caixa interna para a externa do sistema não seja o suficiente para impulsionar as bolhas aprisionadas na curva da tubulação em U.

Usando algo como uma esponja ao redor da entrada do tubo poderá bloquear a luz evitando acima formação de algas na entrada do tubo podendo causar alguma obstrução mais tarde reduzindo assim o fluxo. Diariamente verifique se há algo de errado com o sistema , não custa nada, apenas alguns segundo e você terá a certeza e tranquilidade de que tudo esta indo bem. Já tive dois aquários utilizando esse sistema e nunca tive algum problema. Lembre-se sempre de efetuar limpezas periódicas nas caixas para que as algas não causem problemas futuros. O crescimento desordenado de algas filamentosas poderão causar a obstrução da tubulação. Caso não haja uma sucção da água pelo tubo em U, o tanque poderá encher de mais e consequentemente transbordar.

tubo snails, paguros, astreias são alguns dos vilões responsáveis pelas obstruções desse tubo, após entrar nele, sua concha irá obstruir a passagem de água causando uma diminuição na vazão. Uma boa dica é colocar uma tela protetora no recipiente interno na entrada da água, outra medida de de segurança é de instalar na entrada do tubo em U, tiras de plástico em forma de X evitando assim que em caso de algum paguro escapar pela tela você terá uma segunda proteção.

Por que eu ainda preciso de um sump?

Vantagens de um Sump:

* Aumento do volume total de água no sistema – Isso dilui os poluentes que se acumulam na água do seu aquário, e ajuda a diminuir problemas que surgem rapidamente em tanques sem sumps;
* Espumas na superfície – aquários onde há sumps, boa parte das espumas e bolhas são quebradas nele fazendo com que não haja acúmulo na superfície do aquário;
* Baixa temperatura – Tenho observado uma queda de 2 ° C de temperatura após a instalação de um sump;
* Organiza e esconde – equipamentos, skimmer, aquecedor, sondas e monitores e muito mais coisas que podem ser removidas do tanque principal;
* Nível de água consistente – O tanque principal vai manter sempre o mesmo nível, a evaporação irá ocorrer no sump;
* Lugar seguro para adição de aditivos – Com a adição de substancias no sump a diluição é iniciada lá e os aditivos acabam indo para o tanque principal muito mais diluídos.
* Aumento da circulação – O retorno da água do sump possibilita uma melhor circulação. Você pode distribuir a entrada de água no aquário distribuídas em várias tubulações e direções diferentes diminuindo a força e melhorando a circulação de mais de um lugar no reef;
* Aumento da oxigenação – Como a água escoa para sump, o ar se mistura com ele, permitindo a troca de gases – liberando CO2 e absorvendo O2.
* Iluminação invertida do refúgio – Ajuda a manter níveis de pH durante a tarde da noite.

Como faço para saber o tamanho do sump que preciso?

O meu conselho é de projetar um sump maior possível para que possa acomodar todos os equipamentos necessários. Quanto maior for melhor, porque o aumento do volume de água irá estabilizar o sistema inteiro. A estabilidade do sistema tende a promover a saúde nos animais e excelente crescimento. Uma das vantagens de um sump grande é a capacidade para abrigar uma grande quantidade de equipamentos e torná-lo acessível. Se caso ocorra algum vazamento de algum equipamento isso não será problema já que o vazamento será para dentro do sump evitando assim derramamento no móvel ou no chão.

Uma boa dica para definir o tamanho do sump que você vai precisar é fazendo um protótipo com papelão ou isopor. Leve esse modelo para a área que irá instalar o sump e verifique se consegue acomoda-lo. Se há disponibilidade de um cômodo na casa para o sump e equipamentos, então faça um sump maior. Alguns aquaristas preferem colocar o sump dentro do movel, abaixo do tranque principal, no meu caso eu abri a lateral do móvel e aumentei o tamanho do sump. Se planejado o movel antes, poderá dimensionar o tamanho dele de modo que acomode confortavelmente um sump que atenda as suas necessidades. Você poderá optar por um móvel bem maior do que o seu aquário, com isso você terá bastante espaço para acomodar tanto sump quando chiller e os materiais do aquário e futuramente poderá até trocar de tanque principal por um maior caso queira sem ter que mexer em móvel ou sump.

Sumps pequenos aumentam o risco de transbordamento caso haja uma falta de energia. Quanto menor o sump mais difícil para o aquarista será. Os equipamentos não cabem, as bolhas não são quebradas totalmente, a reposição de água evaporada sempre será menor, você terá uma série de problemas com isso!

Ao decidir o tamanho do sump que você vai precisar, é bom saber o que você deseja colocar nele. já vi pessoas que planejaram fazer uma sessão para o skimmer outra para um refúgio, uma sessão de armazenamento de água doce para reposições, mudário, uma pequena sessão para queda d´agua, e mais uma série de reatores que serão adquiridos ao longo da montagem do reef . Aí eles me dão uma área de 30cm x 20cm e esperam que vai atender todas as necessidades dele como num passe de mágicas. A realidade é só uma: Precisamos de bastante espaço para trabalhar, quando menor o ambiente de trabalho maior a dificuldade de executar. A melhor escolha de um sump é aquela onde ele acomodará todos os equipamentos necessários e você poderá trabalhar tranquilamente.

Como faço para construir um? Quais materiais eu posso usar?

Muitos aquaristas constroem seu sump usando um tanque de vidro que se encaixa dentro do móvel. É uma questão de gosto, você pode usar o vidro ou acrílico,, só não esqueça de utilizar uma espessura de material que resista a pressão exercida pela água. Se você pretende comprar os vidros já cortados, peça ao vidraceiro para lixar as arestas para que não aconteça acidentes durante a montagem e utilização do sump.

Procure silicones próprios para aquários, atualmente facilmente encontrados em lojas de materiais de construção, tome cuidado com outros silicones para uso em casa pois esses podem conter substancias anti-fungos que é nocivo para as bactérias do tanque. Certifique-se de que saiba o que esteja fazendo afinal o barato pode sair caro, siga orientações de pessoas que já tiveram experiências com construção de sumps caso contrário encomende um.

Após limpos e secos, as partes do sump poderá ser coladas com silicone no caso de utilizar vidro.  Serão necessários 24 horas para a cura completa do silicone (vulcanização), somente após esse período recomenda-se molhar. No caso de sumps feitos com acrílico você deverá fazer as colagens com colas específicas para esse material, o silicone não adere em acrílicos.

A altura necessária para se construir um sump será baseado na altura dos equipamentos que serão utilizados no seu aquário e na quantidade de água que ele deverá acomodar logo após o desligamento do sistema já que parte dessa descerá para o sump. Boa parte desse calculo deve ser baseado principalmente no seu skimmer já que quase sempre é o maior dos equipamentos a ser utilizados em um reef, tanto em altura quanto comprimento e largura. Cada skimmer possui a sua particularidade de funcionamento e cabe a você decidir o nível que a água estará na sessão desse equipamento.

Qual o tamanho do refúgio?

O refúgio é um lugal do aquário destinado para animais e algas se desenvolverem sem predação. No caso de utilizar macroalgas no refúgio tenha o conhecimento de que deverá realizar podas semanais. Isso não só estimulará mais o crescimento delas, removerá do reef uma boa quantidade de nitritos e outras toxinas absorvidas por elas. Outra excelente função das algas em um refúgio é de servir de abrigo para micro seres, com isso eles poderão viver em paz sem predação. Refúgio não é lugar para peixes, camarões nem caranguejos. Basta alguns centímetros de substrato, algumas rochas vivas e uma porção de macroalgas como caulerpas ou cheetomorfas é o suficiente para ter um bom refúgio. Snails e esponjas podem ser utilizados também para manter limpos vidros e substrato.

Vários sistemas possuem refúgios associados a tanques em um único sistema de filtragem (apenas um sump). Se o espaço é limitado, tente ao menos criar um refúgio com 10% do volume do tanque principal. Meu reef tinha 280 litros e meu refúgio possuia 25 litros, o nano possuia 55 litros com um refúgio de 18 litros e   meu outro reef com 29 litros possuia um refúgio com 36 litros. Todos os três sendo beneficiados, sem algas indesejáveis. Copépodes e outros micro seres eram levados pela movimentação da água ate o tanque principal e serviam de alimento para o mandarim.

Quando os refúgios são associados ao sump sempre faço com que a altura do vidro que divide um do outro seja de alguns centímetros a menos que o tamanho das laterais do sump. Você poderá colocar uma tela ou grades plásticas entre essas sessões para que seja possível ocorrer trocas biologicas.

Um refúgio precisa luz sobre ele para as macroalgas para crescerem. As minhas preferidas para esse uso são lâmpadas compactas comuns, realizando um fotoperíodo inverso ao do tanque principal e com uma duração de 8 a 10 horas. Quando for utilizar caulerpa, a recomendação quanto ao período de iluminação é de 24 horas por dia sem interrupções para evitar que essas magroalgas entrem num período de reprodução sexuada que ocorre quando em locais escuros. Caso isso aconteça a Caulerpa jogará esporos em todo o sistema causando muita dor de cabeça.

Ouvi dizer que uma circulação forte é um problema. Isso é verdade?

Antigamente boa parte dos aquaristas compravam bombas super potentes na qual bombeava grande quantidade de água para o tanque principal para não precisar de usar bombas no tanque principal, já que eram grande e atrapalhavam no visual do reef. Teoricamente isso pode até fazer sentido mas a principal razão para tal movimentação é para se evitar a presença de bolhas. É muito comum até hoje encontrar sumps repletos de labirintos de quebra-bolhas com o objetivo de evitar que estas sejam jogadas no tanque principal.

Muitos aquaristas descrevem cálculos para uma correta circulação de água no sistema baseado nos tipos de corais que habitarão o reef. Tal relação não tem nada a ver com o tamanho do sump. Se o sump for pequeno, o mais recomendado é a instalação de uma bomba com fluxo lento. Se o sump for maior, nesse caso poderá ser utilizado uma bomba com uma força maior. Uma boa regra geral é a de multiplicarmos por 10 vezes o tamanho do aquário principal, e adquirir uma bomba que atenda a essas necessidades. Se um tanque possui 100 litros, uma bomba de retorno 1000 l/h é suficiente. Se o aquarista utilizar um sump com a capacidade de 40 litros no tanque acima, e uma bomba com 1000 l/h, certamente isso causará problemas.

Há três vantagens em utilizar uma bomba menor para o sistema: menor aquecimento da água, menor consumo de energia, e uma probabilidade menor de formação de micro bolhas. Se você quer ser mais ecológico ou econômico ou talvez os dois, faça a opção por bombas com menor fluxo. A circulação do tanque principal deverá ser fornecida através de bombas de circulação próprias, de baixo consumo e que não aquecem tanto.

Qual é a melhor bomba para o retorno do meu sistema?

Várias marcas estão disponíveis, mas acredito que esta questão vai muito além do que isso. Se você esta perguntando se é melhor ter uma bomba interna ou externa (dentro ou fora d´agua), minha resposta varia de tanque para tanque. Eu sempre preferi bombas submersas (internar) já que não necessita de se fazer furos a lateral do sump evitando assim um possível vazamento. Ter uma bomba localizada dentro do sump significa tranquilidade de que nunca ocorrerá vazamentos, e caso haja algum tipo de vazamento nas tubulações da bomba, esse vazamento será para dentro do sump. No entanto, bombas submersíveis são fontes de aquecimento. É o caso das bombas Magdrives que sempre trabalham aquecidas mas nunca parei de usa-las. Eheim é uma marca muito boa de bombas que aquecem pouco, e podem até mesmo ser usado externamente. Bombas submersíveis às vezes pode ser barulhentas, devido à vibração contra o fundo ou nas paredes do sump. Podem ser utilizadas esponjas, borrachas ou até mesmo silicone para isolamento acústico durante seu funcionamento.

A principal vantagem das bombas externas é que não irão aquecer a água, e muitas vezes são bem mais potentes. Uma boa indicação é quando um aquarista necessita bombear água através de alturas muito grandes como é o caso de um sump no térreo e um reef no 1° andar.Tendo a bomba de fora da sump, possibilita nova área para possíveis vazamentos, seja através das tubulações, flanges ou vedação da bomba.. Bombas externas são geralmente silenciosas. É importante que haja espaço suficiente ao redor da bomba para permitir que haja dissipação de calor. bombas externas ocupam muito espaço.

E o encanamento?

O encanamento é um grande tema que poderia ser um artigo por si só. Algumas escolhas de tubo: PVC rígido, PVC flexível (chamado SpaFlex), tubos de vinil flexível e mangueira de piscina (plástico corrugado). Quanto ao encanamento, cabe você a decidir o que lhe agrada mais, uma coisa que seve ser levado em conta é que na descida 75% da água seja destinada para o skimmer e 25% para o refúgio. Alimentando o skimmer com água diretamente vc fará com que seu skimmer trabalhe de uma forma mais eficiente removendo sujeira, enquanto que essa água com carga orgânica servirá também de alimento para plantas e microrganismos. Caso a sua tubulação possuir apenas uma única descida, a alternativa será de dividir o fluxo em dois e controlando a vazão com válvulas hidráulicas. A água das duas sessões derramará na sessão de retorno, que é bombeada de volta para o tanque novamente.

Ao montar um encanamento novo, realize uma instalação onde poderá alterar no futuro caso haja algo novo em seu sistema. Usando uniões fará com que seja possível a remoção dessas tubulações para futuras manutenções ou mudanças do sistema. Ao utilizar tubulações coladas esteja certo de que não poderá mais descolar a área colada, você terá de cortar a tubulação para uma eventual alteração.

Ao utilizar uma bomba submersa, lembre-se de adaptar uma união na saída dela antes de conecta-la a tubulação. De tempos em tempos você vai precisar de desligar e desconectar essas bombas para eventuais manutenções, isso vai facilitar bastante. Não cometa erros limitando o fluxo da passagem da água colocando tubulações com diâmetro menor do que o especificado pelas bombas, além de diminuir o rendimento você diminui a vida útil dela. Isto maximiza o fluxo e evita o super aquecimento da bomba.

Caso você esteja utilizando uma bomba externa, instale válvulas de esferas tanto na saída da bomba quando na sua entrada, isso vai facilitar na hora de desconecta-la para eventuais manutenções. O uso de tubulações flexíveis antes e depois das bombas ajudam bastante para não causar vibrações.

Evite curvas nas tubulações de retorno para o aquário, isso causará zonas de resistência e diminuirá a vazão na subida.

Depois que o encanamento está instalado, verifique se todas as áreas estão bem apoiadas. cintas de plástico podem ser instaladas para pendurar o encanamento no móvel. Ao montar o encanamento, é recomendada a colagem de todas as emendas para se evitar possíveis vazamentos. Conexões rosqueáveis deverão ser recobertas com fita teflom para que não haja a penetração de ar.

Lembre-se que um encanamento novo possibilita a formação de pequenas bolhas e dentro de 14 dias é que haverá formação de uma camada de biofilme na qual ajudarão na eliminação destas. Mesmo assim se você ainda encontrar formação de bolhas no seu sistema, alguma coisa foi mal vedada ou colada e requer uma melhor investigação.

Qual o tamanho de cada sessão deve ter?

A seção skimmer deve ser grande o suficiente para manter o skimmer com suas bombas, e a descida para o sump. Se o plano inclui uma zona de descida com quebra-bolhas, verifique se a zona tem espaço para o skimmer. O refúgio deve ser de 10% do volume do tanque principal, e a sessão de retorno deverá armazenar água suficiente para manter o tanque em funcionamento por pelo menos dois dias. Com essas orientações, será possível projetar um sump adequado para o seu sistema.

Segue abaixo alguns exemplos de sump:

Evitando inundações:

O próximo assunto trata-se de como manter o seu piso seco. Se o sump for bem projetado, dificilmente haverá problemas com vazamentos ou transbordamentos. O que tem que ser definido é o volume total de água que ele pode suportar, e para fazer isso, siga estes passos simples:

Cada tubulação que leva água do sump para o aquário deverá possuir um dispositivo anti-sifão, que nada mais é do que alguns furos logo na saída da água no tanque principal. Eu recomendo dois furos de ¼ “. A razão para a perfuração de dois furos é que, caso um seja obstruído por um snail ou alguma alga, o outro resolverá. Usando dois buracos aumenta as chances de que o  efeito sifão não aconteca, e reduz a quantidade de água que retorna através do sifonamento para o sump. Estes buracos anti-sifão deve ser verificado frequentemente para assegurar que eles não estão obstruídos com algas ou calcificação e limpo mensalmente. Na figura abaixo, você pode ver água esguichando dos buracos como o tanque esvazia. Observe a tela de descida à esquerda, quando o tanque estiver cheio, o nível da água está alto o suficiente para a água a descer através desses buracos, e os furos anti-sifão são completamente submerso rapidamente.

Com o sump em funcionamento, desconecte a tomada da bomba de recalque simulando uma falta de energia. Desligue o skimmer para que a água que está no seu interior possa retornar para o sump. Após cerca de um minuto, o nível de água do sump deverá se estabilizar. Se o sump estiver prestes a transbordar, retire um pouco de água o suficiente para que fique completo. Se o sump ainda tem espaço, adicione mais água salgada para preenchê-lo perto do topo, com plena capacidade.

Ligue novamente a bomba de recalque, e aguarde o tanque principal reabastecer novamente. O nível da água vai se estabilizar em um ponto mais baixo no sump dentro de 60 a 90 segundos. Usando um piloto ou um pedaço de fita, marca uma linha no sump marcando o nível ideal de funcionamento. Essa é a linha representará e enchimento máximo. Se o nível da água do sump estiver acima dessa linha, quando houver uma queda de energia, ele irá transbordar. Na foto abaixo, a fita azul é o meu marcador.

enquanto você garantir o perfeito funcionamento dos furos anti-sifonamento e o nível de água do sump na marca o sistema nunca irá transbordar.

Filtragem Mecânica:

Eu raramente recomendo qualquer tipo de filtragem mecânica, porque eu não gosto de trabalho extra. Assim, como não uso perlon, shark bags, meias de mulher, bioball, cerâmica, etc. Na minha concepção, quanto maior quantidade de filtragem mecânica for instalada no sistema, maior será a necessidade de eventuais limpezas. Detritos e restos de alimentos ficam presos dentro da meia (foto à direita), onde apodrecem, adicionam nitratos e fosfatos na água. Se mal posicionados podem ser jogados contra alguma bomba ou passagem do sump e causar algum problema. Não, obrigado! Prefiro não utilizar. Perlons também precisam ser substituídos frequentemente. Para mim, essas são apenas despesas e aborrecimentos desnecessários.

Eu limpo o skimmer regularmente, quase diariamente. Eu também aspiro o sump entre 4 a 6 semanas, ou durante uma troca parcial de água. Essa é a extensão do trabalho que eu quero fazer.

Reposição automática de água doce:

Um bom recurso para fazer com que a água evaporada seja reposta no seu sistema, conforme necessário. O sistema consiste num reservatório de água doce instalado próximo ao sump de modo que diminua a necessidade de repor água doce no sistema, a água armazenada nesse reservatório levará dias para terminar, essa é uma das vantagens.

Resfriamento:

Muitos aquaristas optam em resfriar o reef com ventiladores, realmente eles são uma alternativa barata e fácil de serem instalados nos aquários. Mantendo alguns ventiladores (a quantidade proporcional ao tamanho do seu reef), fará com que haja um eficiente controle da temperatura, até mesmo naqueles dias mais quentes.

Se você possui  um chiller, o ponto de saída da água para o chiller deve ser em um lado do sump e o retorno deste para o sump do outro lado. De preferência, deve extrair a água do lado de descida do aquario principal (sessão do skimmer) e devolvê-lo ao lado do retorno (onde localizam-se as bombas de recalque). Dessa forma, ele não vai fazer recirculação da água refrigerada de forma ineficiente. A parte mais crítica do equipamento, ou ponto principal, é a bomba que leva água para o chiller efetuar o resfriamento. É através dessa bomba que irá ocorrer as trocas de água resfriada e água do reef. Essa bomba deverá ser monitorada frequentemente para ter certeza de que essas trocas estão acontecendo. Uma boa dica é instalar mangueiras transparentes próximas para se observar se há movimentação por elas.

Mudário:

Se você possuir espaço no seu sump para um tanque auxiliar, poderá utiliza-lo como um mudário. Nele poderá não apenas estimular com uma maior eficiência o crescimento de alguns corais como poderá refugiar algum caso algum peixe comece a beliscar, ele poderá ficar se recuperando nesse tanque enquanto o peixe não é capturado. Meu sump actual possui uma área de propagação logo na descida do aquário principal. Tenha em mente que algum tipo de iluminação será necessária para os corais a crescer, e que a iluminação pode causar crescimento de algas indesejáveis.

Trocas parciais de água e suplementação:

Quando chega a hora de alguma suplementação no reef a maneira mais adequada é diluir primeiro com água filtrada por um deionisador ou filtro de osmose reversa. Em seguida, eles podem ser adicionados gradualmente em uma área de bom fluxo dentro do sump, onde eles têm tempo para misturar antes de entrar em contato com o tanque principal. Isso evita que uma grande quantidade de aditivo fique preso em algum coral e possa causar queimaduras. Uma boa maneira de adicionar cálcio ou regular alcalinidade num reef é através do gotejamento diário ou noturno.

Se você tiver um controlador que utiliza sondas para medir o pH, temperatura e ORP, as sondas podem ser colocadas no sump. Um suporte de acrílico pequeno pode mantê-las estaveis, ou elas podem ser fixadas em um pequeno bloco de isopor que flutua na superfície da água.

Eu prefiro fazer trocas parciais de água pelo sump, ao invés do tanque.

Concluindo

Como você pode ver, há um pouco a considerar, mas com planejamento cuidadoso antecipado, você pode realmente criar um sump embaixo ou atrás do tanque que irá beneficiar tanto os animais e tornar o hobby uma experiência mais agradável.

by Marc Levenson – ReefKeeping 2008

About these ads

Sobre Denis Costa
Aquarismo Bahia & Sergipe - Forum de Aquarismo

14 Responses to Sumps – Planejamento e Montagem!

  1. Jose disse:

    Caro colega Denis vi a ideia de seus projetos e gostei muito e eu gastaria de projetar um aquário de 3 metros , 1200 litros poderia fazer um projeto quais seria as peças necessariamente como alimentação , co2, aquecedor etc…

    Muito Obrigado pela sua atenção

  2. Pingback: Os números de 2010 « AquaBaSe – Aquarismo Bahia e Sergipe

  3. Tassio Franca disse:

    São dicas muito valiosas p aquaristas marinhos, principalmente iniciantes…

  4. Wagner Queiroz disse:

    Olá amigo,

    Parabéns por compartilhar suas experiências. O que você tem a dizer sobre o ATS(Algae Turf Scrubber?

    Grato!

    Wagner Queiroz

  5. marcio disse:

    Olá me chamo marcio, tenho algumas duvidas.. estou modificando um boyu tl550 (130l) minha intenção é fazer um sump na dentro do movel dele, mas tenho alguns receios em relação a queda dáqua uma opção minha e mais indicada para nao furar o tanque seria usar o sistema de sifão.. minha duvida é se uso uma bomba para encher o overflow ou o sistema de sifão conforme vc disse, tenho receio de usar o sifão pq mesmo quando falta energia pode vir a ocorrer o transbordamento dentro do sump já com uma bomba o sistema ficaria paralisado… mas no caso do sifão sem a bomba o fluxo de agua mesmo parando quando falta a energia como reiniciaria o sistema de filtragem sem uma “ajuda” ou seja nao fica niguém em minha casa durante o dia e se ocorrer a bomba de recalque volta a funcionar sem o sifonamento funcionando o transbordamento iria para o tanque principal..

    • Denis Costa disse:

      OLA Marcio!

      O fenomeno fisico do sifonamento pode ser observado quando estabelecemos uma comunicacao entre dois vasos atraves de uma passagem podendo esta ser uma pequena tubulacao, mangueira ou algo semelhante.

      Para obter sucesso nessa tecnica e’ necessario que a tubulacao por onde passara a agua do tanque principal ate o sump possua uma entrada de ar (de preferencia no seu maior ponto) com essa manobra estara evitando um possivel sifonamento em uma eventual falta de energia no sistema. Com a entrada do ar na tubulacao o fenomeno do sifonamento sera interrompido.

      DICA: Uma boa alternativa bastante utilizada por aquaristas experientes e’ o uso de um sexto vidro por dentro do tanque principal. Trata-se de um recipiente (podendo este ser confeccionado pelo mesmo material do aquario) onde a medida que a agua entra no tanque a medida que atingir a altura desse sexto vidro, caira por esse compartimento e logo abaixo passa por uma tubulacao fazendo assim que retorne ao sump.

      De um jeito ou de outro sao otimas alternativas e seguras para o reef. Essa ultima o sistema fica esteticamente mais bonito.

  6. Jorge Costa disse:

    caro amigo tenho um projecto em mente em fazer o meu proprio aquario em casa, o projecto k tenho e para um tanque de dois mil litros sendo k vai ser aplicado numa parede e vai ser visto do oll de entrada e da sala de jantar, pois sou iniciante nisto, mas sempre tive uma paixao por aquarios de grande porte e agora o projecto ta aprovado,so k kero saber como fazer este projecto sem erros, mas precisava da sua ajuda, sera k tem um tempo? desde ja muitos parabens pelas suas dicas nesta pagina. abraco, Jorge Costa

  7. Marcus Paulo disse:

    Denis, parabens e obrigado por todos os ensinamentos! Poderia me ajudar no meu projeto? Sou iniciante nivel zero e bem perdido

  8. Philipe disse:

    Muito boa a materia. Sou novo no assunto e gostaria de saber se vc pode me ajudar com meu projeto. Vlw

  9. Marcos Rodrigues disse:

    bom dia amigo, gostei muito do seu projeto, quero montar um aquario para agua doce com plantas naturais de 2mts comp/90cm alt/60cm larg. tenho um aquario de 80lts que quero transforma-lo no sump para esse aquario maior. gostaria que se possivel me ajuda-se a montar esse projeto, pois é a primeira vez que vou montar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 49 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: